Boletus perigosos! (?)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Boletus perigosos! (?)

Mensagem  rapozinho em Qua 24 Set 2014, 20:54

Biba!

Sempre fui apreciador de cogumelos, e há poucos anos conheci por influencia da familia da esposa os boletos (que por influencia francesa aqui são chamados de cepas).

É inegável a sua qualidade, mas tenho receio na sua reolha;

Disseram-me que posso apanhar todos os que possuem himenio em "esponja", e apenas descartar aqueles que mudam de cor ao toque!

Apear de "saber" que nem todos os que mudam de cor são toxicos, a minha grande questão é:

Mesmo que exclua alguns comestiveis, este metodo de exclusão é seguro?!



rapozinho

Número de Mensagens : 2
Reputação : 0
Data de inscrição : 15/11/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boletus perigosos! (?)

Mensagem  Pedro Claro em Qui 25 Set 2014, 09:28

Não é.

Como referiste, e bem, há espécies que mudam de cor comestíveis (Boletus erythropus, entre outros) e há espécies que não mudam de cor que são tóxicas ou, pelo menos, suspeitas.

Depois, dentro dos cogumelos com himénio em esponja há vários géneros (Boletus, Suillus, Gyroporus, Xerocomus, Tylopilus, Leccinum, etc.) e cada um tem as suas particularidades quanto à comestibilidade, mas, na generalidade, todos apresentam espécies comestíveis e espécies não comestíveis/tóxicas, por isso não há 'regras' fiáveis.

Seguro, seguro, é apanhar apenas os cogumelos do género Boletus, 'grupo' edulis - Boletus edulis, Boletus pinicola, Boletus aereus, Boletus reticulatus/aestivalis -, que são, aliás, as espécies mais apetecíveis. Estas caracterizam-se por ter carne branca sem mudanças de cor (provavelmente daí virá a ideia de que se não muda de cor é bom); himénio branco (exemplares muito jovens), depois amarelo (início da maturação) e por fim castanho-esverdeado/azeitonado (exemplares maduros ou velhos) e por apresentarem um reticulado mais ou menos evidente no pé. O chapéu é seco ou ligeiramente húmido (em tempo húmido), mas nunca coberto de um muco gelatinoso (género Suillus, que também tem algumas espécies comestíveis, embora a cutícula do chapéu deva ser rejeitada por ter características fortemente laxantes).

O essencial, no entanto, é ter um bom conhecimento de campo, saber distinguir as espécies e, regra número um dos micófagos, em caso de dúvida (mesmo que mínima) rejeitar!

Pedro Claro
Basidiocarpo
Basidiocarpo

Número de Mensagens : 1398
Idade : 43
Reputação : 10
Data de inscrição : 10/12/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boletus perigosos! (?)

Mensagem  rapozinho em Qui 25 Set 2014, 14:31

Desde já (a frase da praxe, mas sentida) muito obrigado pela resposta!

Vou tentar estudar melhor as espécies do género boletus, que, felizmente abundam por aqui!
(e só não abundam ais, porque os proprietários destroem alguns micélios com as fresas do trator)

Tenho mais "uma" questão:

Quando fala em toxicidade, a que níveis se refere? Mortalidade?! Quais as espécies mortais?
Pelo que li, apenas o B.Satanás é mortal! Certo?! E parece-me raro...

Por exemplo, não recolho nada do género ananita, com medo de recolher algum ovo ou jovem phaloides. (que infelizmente tantas vezes aparece nas noticias...)
Por isso, se a toxicidade do género boletus não for mortal, fico mais tranquilo!




rapozinho

Número de Mensagens : 2
Reputação : 0
Data de inscrição : 15/11/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boletus perigosos! (?)

Mensagem  Pedro Claro em Sex 26 Set 2014, 09:55

Lavoisier é o autor de uma frase que se aplica perfeitamente aqui: "Não há veneno, apenas dosagem".

Também há autores que, baseados em estudos de toxicidade em ratos, defendem que a generalidade dos cogumelos (mesmo os considerados comestíveis) apresentam sempre algum grau de toxicidade e que, por essa razão, a parcimónia deve estar sempre presente aquando do consumo de refeições onde aqueles sejam a guarnição principal.

Depois, há as questões pessoais: determinadas espécies podem provocar reacções adversas a determinadas pessoas enquanto que outras, que comem exactamente a mesma refeição, não apresentam essas reacções.

Posto isto, podemos dividir as espécies 'perigosas' em vários grupos mais ou menos latos:

- Espécies mortais - espécies cujo consumo, mesmo que em quantidades reduzidas, terá um desfecho fatal, mesmo com intervenção médica. Ex. Amanita phalloides e 'satélites' (A. verna, A. virosa), Galerina spp., Inocybe spp., etc.

- Espécies muito tóxicas - espécies causadoras de intoxicações severas a necessitar de internamento e, eventualmente, com desfecho fatal em situações extremas. Ex. Amanita pantherina, Entoloma sinuatum, etc.

- Espécies tóxicas - espécies causadoras de intoxicações mais ou menos graves mas, por norma, sem desfechos fatais (pelo menos se for procurada ajuda médica). Ex. Amanita muscaria, Coprinus atramentarius (quando consumido com álcool), etc.

- Espécies laxantes - espécies que causam, sobretudo, transtornos gastro-intestinais leves a moderados, sem desfecho fatal. Ex. Suillus spp. (se não for retirada a cutícula do chapéu), entre muitos outros.

- Espécies suspeitas - espécies que são comidas em vários locais e com alguma frequência, mas que são suspeitas (ou mesmo com provas) de terem causado intoxicações fatais. Ex. Paxillus involutus, Gyromitra esculenta, Tricholoma equestre. Nestes casos, as intoxicações podem dever-se a vários aspectos circunstanciais ou pouco esclarecidos: nalguns casos (Gyromitra, Paxillus) crê-se que as intoxicações fatais após anos de consumo sem consequências nefastas se devem a uma progressiva intolerância do organismo a essas espécies, até que se chega a um ponto em que mais um consumo pode ser fatal; noutros casos (Tricholoma equestre), as intoxicações ficaram a dever-se, provavelmente, ao excesso de consumo (foram relatadas intoxicações fatais após consumo de várias dezenas de quilos em poucos dias); em qualquer um destes casos, é possível que algumas características individuais dos intoxicados (hipersensibilidade) tenha, também, contribuído para a situação.

Relativamente aos boletos (assim, genericamente, referindo-me a todos os cogumelos com himénio com tubos), creio não haver nenhuma espécie que se possa classificar como mortal. Mas Boletus satanas e outras espécies próximas (a maioria das espécies com tubos e poros alaranjados ou vermelhos e que, normalmente, viram ao azul ao toque e ao corte) são, definitivamente, espécies tóxicas a muito tóxicas.

Pedro Claro
Basidiocarpo
Basidiocarpo

Número de Mensagens : 1398
Idade : 43
Reputação : 10
Data de inscrição : 10/12/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boletus perigosos! (?)

Mensagem  pouihi em Sex 03 Out 2014, 17:24

Esse princípio da toxicologia conheço como sendo proveniente do Paracelso.

Quanto aos mortais, há que ter atenção também a Cortinarius que contenham orelanina, há um caso de um escritor (Nicholas Evans) que apanhou e comeu com familiares julgando que eram cepas.

Naaltura li sobre esse caso e não percebi como é que uma pessoa que diz ter hábito de caçar cogumelos confunde Cortinarius com Boletus, entre outras há logo a óbvia diferença no himénio confused
avatar
pouihi
hifa
hifa

Número de Mensagens : 25
Fungónimo : Psylocibe tampanensis
Reputação : 1
Data de inscrição : 13/01/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boletus perigosos! (?)

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum